O cinturão de protecção lunar e a necessidade das mulheres protegerem o seu ventre - Isabel Angélica



Desde 2015 que uso, em cada ciclo do meu sangramento, um Cinturão de Protecção Lunar que é concebido quando a minha energia se altera e que uso durante 7 dias seguidos.


Aprendi a fazê-lo com a instrução da Máma Andrea Atekokolli e aprofundei os seus Mistérios com as minhas irmãs do Retiro de Lua em Barcelona. Mas acima de tudo, tenho sido a minha principal maestra no que toca a este saber tão antigo e que nos chega do outro lado do Atlântico, a partir do conhecimento ancestral das mulheres andinas.


O Cinturão de Protecção Lunar é feito a partir de materiais biodegradáveis (tecido de algodão, tabaco e plantas medicinais) e, acima de tudo, com as mãos e orações de cada mulher. E cada uma tem de fazer o seu de forma a tomar consciência de que deve cuidar da sua energia e da sua protecção.


O ciclo lunar da mulher, mais especificamente o seu período de sangramento, está cheio de deturpações e mal entendidos. Temos uma cultura que nos sobrecarregou de pensamentos e misticismos em torno do período menstrual da mulher - que não podemos fazer bolos, bater claras, tomar banho e, inclusivamente, alguns xamãs ou professores não toleram a presença de mulheres menstruadas nos seus trabalhos.


A mulher quando está menstruada abre o seu potencial de conexão energética para cima e para baixo, tornando-se um vórtex de energia que, caso a mulher se protege e esteja consciente deste poder, funciona como um "aspirador energético" que limpa tudo aquilo que a rodeia (para além da limpeza que já está a fazer consigo mesma). Contudo, ainda existe muita desinformação quanto ao tema e, lamento dizê-lo, mesmo nos Círculos de Mulheres este tema não está a ser tratado com a devida profundidade que precisa e merece, pois o fluxo menstrual é algo privado, pessoal, íntimo e deve ser tratado com a nutrição e atenção devidas.


A mulher ocidental precisa começar a entender os mistérios do seu fluxo menstrual e do seu ciclo lunar. Entender que somos portas que se abrem e fecham em determinados momentos do nosso ciclo lunar. Entender que quando estamos em período fértil ou em período de sangramento somos verdadeiras magas e que precisamos cuidar da nossa energia e poder.


Com base na minha experiência pessoal e nos ensinamentos que tenho recolhido, estou, desde 2018, a ensinar às mulheres como devem fazer os seus Cinturões de Protecção Lunar. No próximo dia 25 de Janeiro iremos ter um Círculo na Ericeira com esse intuito:




Para entendermos outras vantagens em protegermos o nosso ventre e umbigo, partilho convosco este texto que encontrei no Facebook e cuja fonte está identificada no final:


Por que algumas mulheres usam faixas na cintura?

Certamente já deve ter visto que em todas as roupas femininas tradicionais nativas se usam "faixas" ou cintos largos na cintura.

Estas peças tão lindas não são meramente para segurar as saias ou compor um visual místico de mulher medicina. Tem uma razão de ser muito mais profunda, cheia de sabedoria e conhecimento. Com toda certeza já deve ter ouvido de sua avó ou mãe para não pegar friagem pois causaria "frio no útero" ou cólicas terríveis quando a menstruação chegasse. Não é mesmo?

Pois bem elas estavam certas, muitas curandeiras, parteiras e sobedoras antigas usavam esse termo para esta male que é considerado uma das principais causas de infertilidade feminina dentro das medicinas ancestrais indígenas.

O útero é um órgão oco e cheio de vida, e como tal carrega o dom mágico de gerar e dar forma à vida humana! Mas por ser receptivo e acolhedor pode conter frios ou calores que ao final danificam seu funcionamento quando não cuidado.

Como é que chega frio no útero, você deve estar a se perguntar?

Isto é mais comum do que imagina, a todas nós acontece ou aconteceu esse frio e ele pode "ficar" facilmente no útero caso ande nestas situações que colocarei abaixo:

  • Andar descalças ou sentar em um chão frio. Os nervos dos pés e glúteos sobem para a medula espinhal e unem-se a ela à altura da região lombar e sacral, quando recebem essa temperatura o frio também passa para os nervos e músculos, até mesmo nos ossos, e tende a ficar alojado no útero, que é quem guarda tudo nas mulheres.

  • Ficar muito tempo com a roupa de banho molhada. O contacto direto do frio e umidade por espaços de tempo prolongados também resfria nosso útero.

  • Ter barriga e costas descobertos em dias frios. Se as saias e calças deixarem a lombar e ventre no frio facilitará a entrada do frio ao útero.

Gostaria de saber se tens frio no útero?

É tão simples e comum que ficarás surpreendida: qualquer cólica menstrual forte que se alivie com calor é resultado de frio no útero. O frio encolhe a espessura das veias e artérias, tornando-as mais pequenas do que o normal. Quando o processo de menstruar é dado, e as artérias que soltam o endométrio fazem seu trabalho causa muita dor devido ao choque de temperaturas do calor do sangue com o frio do útero.

Nossas avós e mulheres antigas sabiam isso muito bem e muito de sua fertilidade vinha desse saber. Por isso é que usavam as cintas, para proteger o útero e rins (barriga e costas baixa) do frio evitando assim as cólicas menstruais e certos casos de infertilidade.

Espiritualmente o ato de se cobrir o umbigo e ventre com um cinto faz com que as energias nocivas do ambiente não entrem no corpo da mulher, protegendo-a assim de ficar carregada, doente ou esgotada nos períodos de lua (menstruação) que é onde ficam mais vulneráveis a essas baixas. Para fortalecer a proteção pode se usar um pouco de tabaco natural (não de cigarro industrial) dentro da cinta para potencializar a proteção do útero.

Recomendação: procure um cinto largo, pode bordar, tricotar e rezar nele ou pode comprá-lo também.


Use quando estiver em lugares frios, quando você estiver na lua (menstruada) ou quando quiser se sentir protegida em lugares hostis.

A proteção e cuidado da mulher começa no útero dela, santuário sagrado de vida e amor. Cuidemos bem de nossas taças sagradas.

Postagem original LunaCup (via Aprendiendo en la cultura Anahuaca)

traduzido e acrescentado saberes por Sopro da Luah



Na nossa loja temos disponíveis alguns cinturões/faixas para venda. Visita a loja:

https://www.isabelangelica.com/shop

1,212 visualizações

Todos os conteúdos deste site são de minha autoria e expressam quem sou e no que acredito. Ao usares expressões, frases ou imagens minhas e a partir deste site, cita a fonte, por favor. Gratidão.

© 2008 - 2020 por Isabel Angélica - Escola Iniciática de Desenvolvimento Humano e Espiritual | Terras de Lyz & Árvore da Lua

Site criado por Isabel Angélica com Wix.com