Retiro de Mulheres (Post do Facebook).png

Cuidar de quem cuida

Como Mulheres, já sabemos, temos uma vida atarefada... corremos, desdobramo-nos, cuidamos e vamos guardando as nossas necessidades pessoais para último.

Por isso surge esta proposta de Retiro - apenas dois dias para nos nutrirmos... dois dias em que podemos ser Serpente e Dragão... em que podemos navegar nas águas e assumir o nosso fogo.

Vamos dançar, partilhar, descansar, mimarmo-nos e receber verdadeiras bênçãos para a auto-estima e conexão com o nosso corpo e emoções.

Mulher Serpente | Mulher Dragão

Porquê?
Aligning-To-The by Martina Hoffmann.jpg

Serpente

 

A Serpente vem como Memória da Alquimia que somos, mulheres e homens, ao nível divino. Somos feitos carne e é a Serpente que, com o seu sibilar, nos recorda que somos filhos e filhas da Terra e do Céu.

 

Nas tradições ancestrais da Terra (aquelas com mais de 4 mil anos de existência) têm no seu eixo central de conexão a Serpente. Ela une todas as tradições e é vista como a Grande Guardiã dos ciclos de Vida-Morte-Renascimento.

Dragão

O Dragão é o guardião das energias telúricas da Mãe Terra e aliado da Humanidade.

Os Dragões existem em muitos reinos e dimensões. E, neste momento, desejam auxiliar-nos na manifestação da nossa Soberania e da nossa Rainha interna.

 

São mestres conectados com as forças da Mãe Terra e somos feitos de terra, ar, fogo e água tal como eles. Conectar com o nosso Dragão é recordar a força do nosso sangue.

Drago.jpeg
Em Portugal, as tribos antigas dos Ophis e dos Draganis deixaram-nos um legado que pulsa agora na nossa memória ancestral e que ecoa a Presença da Mãe Antiga e Primordial, Aquela que nos acolhe no Seu regaço para descansarmos e sermos nutridas.
_MG_9360_.jpg
Sou uma mulher forte. 
De coragem. 
Destemida. 
Mas também tenho momentos em que estou profundamente cansada. 
Acontece e ainda bem que me dou conta das minhas fragilidades. 
Nestas alturas sou confrontada com a dureza de algumas pessoas que me rodeiam pois por me verem forte acreditam que devo ser mais rija. 
E não quero ser rija. 
Não quero aguentar. 
Suportar. 
Fazer sacrifícios. 
Por isso, cada vez mais, escolho mostrar a minha fragilidade a pessoas que me sabem acolher sem julgamentos, sem pressão e sem conselhos de algibeira. 
Não quero terapeutas. 
Só abraços. 

 
-
Isabel Angélica - 01/02/2019

PROPOSTA DE PROGRAMA

Retiro para Mulheres

dias 2 e 3 de Abril de 2022 - Ribamar/Ericeira