Da Dor ao Dom

AS FERIDAS DO FEMININO

Curando o Feminino, um ser humano de cada vez

1ª edição - Maio de 2019​

2ª edição - Setembro de 2019

Estamos a viver tempos fantásticos onde cada vez mais Mulheres assumem a vontade interna de escutar o chamado da Deusa nos seus corações e ventres para iniciarem e aprofundarem os Mistérios do Feminino.
 
Cada vez mais temos a necessidade de nos reunir para partilhar, curar, dançar, cantar e celebrar o facto de termos escolhido sermos Mulheres nesta vida e neste momento em que o Feminino emerge na consciência e vivência da Humanidade da qual fazemos parte.
 
A Cura do Feminino acontece quando cada uma de nós decide revelar o que as nossas Células nos sussurram e assim, uma Mulher de cada vez, estamos a tecer uma linda teia de luz que permitirá à Deusa manifestar-te através de cada uma de nós.
 
Trabalhar o Feminino está a pedir-nos o resgate da Sororidade e isso implica caminharmos pelas nossas luz e sombra com a Coragem e Doçura que nos caracteriza e por isso surge este trabalho online já na 2ª edição, depois de um poderoso trabalho que aconteceu em Maio de 2019.
Em Maio de 2013 assumi abrir Círculos de Mulheres com a consciência das minhas feridas do feminino.
Desde então, cada trabalho que facilito é na perspectiva de me sanar acolhendo e aceitando em mim e nas Mulheres que se têm sentado comigo em Círculo que somos um misto de dons e dores que, quando integrados, nos transformam e nos trazem a liberdade do amor próprio e do poder pessoal.
A luz e a sombra nos nossos seres femininos não são e nem podem ser dissociadas num trabalho consciente de crescimento e recuperação do nosso poder pessoal.
 
Com a minha experiência de acolhimento das Mulheres em Círculos e Terapias tenho vindo a entender que é cada vez mais essencial começarmos a abordar As Feridas do Feminino como uma forma de entendermos quais as histórias pessoais e colectivas que carregamos dentro dos nossos corações e ventres e de como elas têm ditado a forma como vivemos as nossas vidas, as nossas relações e parcerias, a forma como educamos as nossas crianças e nos apresentamos ao Mundo a partir dos lugares que ocupamos nos diversos papéis que assumimos.
 
 
Nós, as que estamos despertas ou a despertar, somos as parteiras da cura e da nova consciência, às quais as nossas ancestrais não tiveram acesso.
Somos o fruto das suas orações silenciosas enquanto sofriam com as suas dores que, por falta de saberem melhor, nos deixaram como herança para agora vermos e cuidarmos.
Falar e explorar As Feridas do Feminino não é um convite a navegarmos as águas nostálgicas da nossa dor, mas sim olharmos para a dor como parte de nós que precisa ser acolhida no amor e doçura de forma a manifestarmos como uma força de transformadora para as nossas vidas.
Transformar a dor em dom.
A Grande Mãe está a retirar os Seus véus e a convidar-nos a um mergulho cada vez mais consciente e responsável para dentro das suas profundezas que albergam todos os espectros e cores da Sua manifestação. E com este movimento, Ela está, também, a convidar todas as Suas Filhas a navegarem com Ela nos Seus elementos e matrizes.

O que dizem sobre as Feridas do Feminino

Significou para mim mais uma abertura, mais uma espaço em mim, descobri que sou muitas mulheres ao mesmo tempo. Desperta em mim ter mais tempo mais cuidado e atenção comigo mesma. Aprender a ouvir a dor a manifestar se e abrir espaços de cura como o repouso o exercício físico, alimentação, etc.
Ganhei mais auto estima. É muito bom continuar a ter acompanhamento e encontrar pessoas delicadas pelo caminho. Estou muito grata. 

Vânia

Para mim foi um chamado de atenção para temas que preferimos não pensar ou esconder de baixo do tapete. Pessoalmente não tive muitas sensação ou transformações corporais mas senti a energia de Hécate muito forte e isso impressionou me. Tenciono rever os vídeos para poder assim chegar a cura destas questões feridas... Gratidão Isabel Angélica...que haja muitos cursos como este pela frente.

Patrícia

Para mim uma visão de mais responsabilidade sobre o meu caminho para atingir o que tanto anseio - ser feliz.
A Isabel ensinou técnicas para nós auto-conhecermos e percebermos porque é que determinadas situações vêm ter connosco.
Está a ser muito enriquecedor.
Grata por esta facilitação online.

Maria José

Este curso significou para mim uma oportunidade imensa de olhar para mim mesma de forma profunda e transformadora, num ambiente seguro e com o "colo" da Isabel e da comunidade de mulheres que ela criou. Fez-me abrir os olhos para vários aspectos de mim mesma, tocou em pontos profundos da minha alma, e abriu-me os olhos para conhecimentos que estão a fazer todo o sentido na minha vida e no meu ser. 

Ana Sofia

Para mim este curso, ajudou-me a desbloquear, a olhar para as minhas dores/feridas com compaixão. Transmutei tanta coisa... Gratidão. 
A olhar para mim e ver as várias mulheres que me habitam, e amar cada uma delas! Gratidão por isso também.
Conhecer-me, aceitar-me e sobretudo amar-me. Por isso, também gratidão.
Chegar à conclusão que podemos amar o outro, aceitar como ele é e seguir em frente com amor por tudo isso. 
Conhecer o meu lado sombrio, aceita-lo (ainda estou a trabalhar nisso) e saber q os outros também o têm e que está tudo bem. 
Que sou responsável por mim, pelas minhas atitudes e não pelas dos outros. 
Gratidão Isabel Angélica por todas estas aprendizagens. GRATIDÃO.

Elsa

Objectivos deste trabalho online

Ao chegares a este trabalho é porque sentes, em alguma parte do teu ser, da tua verdade, que viveste outras vidas onde já serviste como curandeira, sacerdotisa, parteira, ou outra profissão que foi tida como "maldita". Nesta vida esta tua faceta pode ou não estar activa, mas sentes que há algo que precisas compreender e curar.
Chegou o tempo!
- Aprofundamento das feridas do feminino, nomeadamente os arquétipos da vingativa, da prostituta e da bruxa, no sentido de entendermos o que carregamos como codificação negativa e que nos impede de acedermos ao nosso poder pessoal, a nossa sexualidade e os nossos dons intuitivos
- Ressignificação das nossas facetas
- Conexão mais profunda ao nosso corpo, características pessoais e emoções
- Resgate celular de uma profunda conexão ao sagrado e divino femininos
- Compreensão dos arquétipos femininos ao longo da história do patriarcado e de como as poderemos incorporar e manifestar em segurança nesta Nova Humanidade
- Compreensão da cisão da psique feminino e o resgata da mulher selvagem
- Unificação do Feminino em nós nas suas facetas sagrada e divina
- Sanação do Feminino pleno para entrarmos na Sanação do Masculino em nós e com o Masculino na nossa Vida
- Trabalho de resgate de poder pessoal e de cura do amor próprio

Proposta de Programa​

 

A Ferida da Vingativa:

- como se expressa na dor e no dom a partir da contextualização individual e colectiva (os arquétipos de Palas Athenas e Ártemis)

- aprofundamento das manifestações das feridas através da inveja, competição, ciúmes

- trabalho energético e emocional para clarificação das feridas e resgate dos seus dons

A Ferida da Prostituta:

- como se expressa na dor e no dom a partir da contextualização individual e colectiva (os arquétipos de Madalena e Lilith)

- aprofundamento das manifestações das feridas através sexualidade desvirtuada (abuso e violência), a negação da energia sexual e do sangue menstrual e o seu mau uso, a manipulação sexual

- trabalho energético e emocional para clarificação das feridas e resgate dos seus dons

A Ferida da Bruxa:

- como se expressa na dor e no dom a partir da contextualização individual e colectiva (os arquétipos de Hécate e Ísis)

- aprofundamento das manifestações das feridas através do uso desvirtuado da mediunidade e intuição, a demonização dos dons femininos e o seu mau uso, calar a voz interior com medo e culpa

- trabalho energético e emocional para clarificação das feridas e resgate dos seus dons

Sessão de integração e partilha de experiências

- Sintonização com as energias de cura de Ísis e Maria Madalena com alinhamento às novas matrizes do Feminino Sagrado e Divino